Header Ads

ÚLTIMAS
recent

Rafael Leopoldi | O cliente é a alma do negócio!


Essa é uma frase que escutamos há anos e que atualmente está muito em desuso. Há tempos atrás a satisfação do cliente era uma das regras mais importantes no mundo do comércio, hoje as coisas estão bem diferentes. O que mais acontece é o cliente ter que brigar para ter o mínimo de qualidade de um serviço ou de um produto. Isso é regra comum nas empresas privadas mais ganha um sentido muito maior quando falamos de serviços públicos.

Os valores se inverteram. Antes o importante era satisfazer o cliente para que ele consumisse mais do seu produto. Hoje é o consumidor que tem que satisfazer as necessidades de lucros das empresas. Coisa do louco!

Agora quando falamos em serviços públicos o nível é muito pior. No setor privado eles podem até demorar para mostrar interesse em resolver seu problema, mas no setor público não existe a menor preocupação com a qualidade ou eficiência do serviço ou produto.

Um exemplo gritante deste tipo de serviço encontramos andando pelas ruas da maioria das cidades brasileiras, o transporte público.

Estou há 2 meses utilizando o transporte público intermunicipal, linha que liga Amparo a Jaguariúna. Nesse pouco tempo posso afirmar que já vi inúmeros casos de desrespeito ao cidadão que necessita usar deste transporte. Atrasos, falta de educação, desrespeito aos trajetos, direção irresponsável. Nesses 2 meses cheguei atrasado ao trabalho mais de 10 vezes por atrasos das linhas, e um caso em particular que vou comentar.

No dia 21 de fevereiro de 2012, o ônibus que saiu da rodoviária às 16h30 (segundo o atendente Manuel confirmou quando eu fiz uma ligação para saber o porque da demora), não passou no ponto da Rua Comendador Guimarães, enfrente a um conhecido supermercado. Às 16h55 eu e mais algumas pessoas ainda estávamos aguardando no ponto quando resolvi ir até a rodoviária para saber o que havia acontecido. O atendente do guichê da empresa Metrópole (empresa responsável há décadas pelo transporte intermunicipal em Amparo) me disse que o ônibus saiu no horário certo e que ele não podía garantir se tinha passado no itinerário correto e disse que se eu quisesse poderia fazer uma reclamação.

A reclamação foi feita de próprio punho e entregue no dia 21 e até hoje não recebi uma única informação sobre o motivo de o ônibus que faz uma linha regular resolveu mudar de caminho.

Isso acontece há tempos e irá continuar a acontecer, mostrando a total falta de respeito com os usuários de transporte público. Pare um dia no primeiro ponto que encontrar, embarque em um ônibus e pergunte para 10 pessoas o que elas acham do transporte público intermunicipal de Amparo. Tenho certeza que você vai concordar que o título deste artigo que diz “O cliente é a alma do negócio!” é apenas uma frase perdida no passado.
Tecnologia do Blogger.